Sociedade de Medicina alerta para falta de testes para covid-19 em Campinas e orienta a população

13 jan, 2022 | Notícias

Realização de testes quintuplicou; resultados positivos saltaram de 3%, no início de dezembro, para 40% atualmente

A SMCC (Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas) está fazendo um alerta para a possibilidade de falta de testes de covid-19 na cidade e orientando a população sobre a importância de redobrar os cuidados e seguir os protocolos de segurança. A realização de testes de covid-19 chegou a quintuplicar em alguns laboratórios de Campinas na última semana de dezembro, quadro que se mantém em janeiro. A alta demanda pode causar um desabastecimento de testes, comprometendo o controle da pandemia.

De acordo com o coordenador do Departamento Científico de Patologia Clínica da SMCC, Dr. Alex Galoro, o índice de resultados positivos também aumentou significativamente no período. “No início de dezembro, de 2% a 3% dos resultados de covid-19 eram positivos. Agora, este índice saltou para 40%”, compara.  Ele explica que o risco de desabastecimento é mundial. “Para os reagentes, são utilizados insumos importados. Como também há uma demanda muito grande em países como China e Estados Unidos, nós ficamos em segundo plano”, comenta. Os reflexos da atual situação já começam a ser sentidos. “Alguns laboratórios aumentaram o prazo de entrega dos resultados e outros já fecharam a oferta de alguns tipos de testes”, diz.

Outro reflexo pode ser a necessidade de priorizar a realização do exame em pacientes com sintomas mais graves ou hospitalizados. “Os governantes e a população sabem da importância da testagem para o controle da pandemia, para a orientação de isolamento e para o tratamento. Mas, diante deste possível desabastecimento, talvez seja necessário priorizar, fazer uma racionalização da testagem”, comenta. Ele reconhece que pode haver um prejuízo em relação ao controle da doença. “A conscientização e a aderência ao isolamento são maiores quando a pessoa sabe que está contaminada”, comenta.

Por isso, neste momento, é fundamental que a população se conscientize e adote os protocolos de prevenção, que são, principalmente, usar máscara, higienizar as mãos com álcool em gel e evitar aglomeração. “Também é importante aguardar em isolamento e avaliar a evolução do caso”, orienta o médico.

Na impossibilidade de realizar o teste, a pessoa deve manter o isolamento, pelo menos, até o 10º dia. Após esse prazo, poderá sair, desde que não apresente sintomas respiratórios e febre, sem uso de antitérmico, há 24 horas.

Notícias Recentes

SMCC promove evento sobre assédio no ambiente de saúde

SMCC promove evento sobre assédio no ambiente de saúde

Encontro será no dia 20 de junho para profissionais da área de saúde A Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC) realizará no próximo dia 20 de junho, das 19h às 21h, um evento importante para profissionais de saúde: "Assédio no ambiente de saúde: como...