SMCC reforça prevenção ao câncer colorretal no Março Azul Marinho

11 mar, 2024 | Notícias

Exames possibilitam o diagnóstico e remoção de pólipos, antes mesmo de se transformar em um câncer

A SMCC (Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas) reforça a importância da prevenção do câncer colorretal (câncer do intestino), o segundo tipo de câncer mais frequente no Brasil, tanto em homens quanto em mulheres (excluído o câncer de pele). No Março Azul Marinho, a campanha visa conscientizar a população sobre a doença e a importância da detecção precoce para o aumento das chances de cura.

“Entre os exames, a colonoscopia, exame que avalia o interior do intestino grosso, é o mais eficaz para a detecção de pólipos e do câncer colorretal. Isso porque a maioria dos casos de câncer no intestino começa com um pólipo adenomatoso, um tipo de lesão que cresce dentro do intestino e, se não retirada, pode se transformar em um tumor maligno. Na colonoscopia, além de diagnosticar e poder retirar essas lesões, conseguimos ainda detectar a doença em estágio precoce, quando as chances de cura são maiores”, afirma o Dr. Marcelo Amade Camargo, coordenador do Departamento Científico de Endoscopia e vice-presidente da SMCC.

No Brasil, a colonoscopia é recomendada para todas as pessoas a partir de 50 anos, independente de sentir sintomas. “A idade para início do rastreamento já caiu para 45 anos em outros países e hoje já se discute começar ainda mais cedo, justamente porque a incidência do câncer do intestino vem aumentado em pacientes cada vez mais jovens” afirma Dr. Marcelo. “Se houver caso de câncer de intestino na família, o exame preventivo deve ser iniciado 10 anos antes da idade que tinha o parente quando descobriu o problema. Isso significa que se este familiar teve câncer com 45 anos, os familiares devem começar a fazer a colonoscopia aos 35 anos”, explica.

E necessário repetir o exame periodicamente para garantir uma prevenção adequada. “O intervalo entre os exames preventivos é individualizado e também depende do resultado do exame anterior, como por exemplo o número, tamanho ou tipo de pólipos encontrados. Num paciente de baixo risco, com colonoscopia normal realizada com boas condições técnicas (bom preparo de cólon), o exame pode ser repetido em até 5 anos”, orienta o médico.

O INCA (Instituto Nacional de Câncer) estima que o Brasil terá 45.630 casos novos de câncer de cólon e reto (ou câncer de intestino) em cada ano do triênio de 2023 a 2025. A doença é mais comum em pessoas acima de 50 anos, mas pode se manifestar em qualquer idade.

Outras formas de prevenir o câncer colorretal são:

– alimentação saudável, rica em fibras, encontradas em frutas, verduras e legumes;

– prática regular de atividade física;

– manutenção do peso corporal adequado;

– evitar o consumo excessivo de carne vermelha ou processada;

– reduzir o consumo de álcool;

–  não fumar.

Confira os principais sintomas do câncer colorretal:

– Sangue nas fezes;

– Alteração do hábito intestinal (diarreia e/ou prisão de ventre) ou sensação de evacuação incompleta;

– Dor, cólica ou desconforto abdominal;

– Fraqueza ou anemia;

– Perda de peso sem causa aparente;

– Alteração na forma das fezes (fezes muito finas e compridas);

– Massa (tumoração) abdominal.

Notícias Recentes

SMCC alerta para riscos da chikungunya chegar a Campinas

SMCC alerta para riscos da chikungunya chegar a Campinas

SMCC alerta para riscos da chikungunya chegar a Campinas Enquanto a atenção pública está focada na batalha contra a dengue, que se tornou um sério problema de saúde, a Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), atenta ao atual cenário, está emitindo um...

Share This