Imunologista ganha prêmio DASA de Inovação Médica

Dr. Antônio Condino Neto também é diretor científico da SMCC e foi o vencedor da categoria Inovação em Genômica, ao lado da Dra. Fátima Fernandes

O diretor científico da SMCC, o imunologista Dr. Antonio Condino Neto, foi o vencedor, junto com a pediatra Dra. Fátima Fernandes, da 5ª edição do Prêmio DASA de Inovação Médica, realizado em parceria com a Veja Saúde e o Grupo Abril, na categoria Inovação em Genômica. O resultado foi anunciado em uma transmissão ao vivo, via Youtube, na última quarta-feira.

O trabalho “Triagem neonatal ampliada para imunodeficiências congênitas associadas a outras deficiências” foi feita através do Instituto Pensi (Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil).

A triagem neonatal, conhecida pelo teste do pezinho, é fundamental para diagnosticar e tratar precocemente doenças genéticas, que podem apresentar evolução catastrófica para a vida e para o desenvolvimento da criança, se não forem controladas.

A triagem neonatal, disponível gratuitamente a todos os recém-nascidos, englobava, até pouco tempo atrás, apenas seis doenças. Atualmente, o teste passa por uma ampliação, prevista em lei, que aumenta para 50 o número de doenças que podem ser diagnosticadas, entre elas, as imunodeficiências primárias, condições congênitas que comprometem a imunidade.

Essa conquista é resultado do trabalho de um grupo de estudos, liderado pelo Dr. Condino. A última fase do projeto, realizada com o Instituto Pensi, validou a metodologia desenvolvida pelo time de especialista, em um trabalho que englobou a análise de mais de 25 mil amostras de crianças de 18 maternidades de oito estados.

“Com uma gota de sangue para o teste, conseguimos investigar a presença de doenças que tornam as crianças vulneráveis a infecções de repetição ou danos em diversos órgãos, e tomar medidas para protegê-las até a realização do transplante de medula, um procedimento curativo”, explica Dr. Condino, que também é professor aposentado da USP e assessor científico do Instituto Pensi.

 

“Mais do que promover um diagnóstico, agora podemos oferecer uma linha de cuidados a esses pacientes. Com a sua implementação, veremos uma mudança na realidade e na mortalidade dessas crianças no Brasil”, completa. “Esse é um trabalho que começou na academia e tem um desfecho prático para a saúde pública”, afirma Dra. Fátima, coautora e diretora-executiva do Instituto Pensi.

Além da categoria Inovação em Genômica, também foram premiados trabalhos nas categorias Inovação em Medicina Diagnóstica, Inovação em Prevenção e Promoção à Saúde, Inovação em Tratamento, Inovação em Medicina Social, Inovação em Healthtech e na categoria especial Inovação em Saúde Feminina.

Os trabalhos foram avaliados por um time de jurados, formado por grandes nomes da ciência e da medicina brasileira, que consideraram cinco critérios: impacto, abrangência e aplicabilidade, grau de inovação, desenvolvimento de tecnologias e relevância acadêmica clínica ou assistencial.

ASSISTA AO VÍDEO DA PREMIAÇÃO NESTE LINK.

Notícias Recentes

Share This