Fila para cirurgias eletivas cai 20,8% na região da DRS VII

1 set, 2022 | Notícias

Expectativa é que redução seja de 30% a 40% após revisão de cadastros e mutirões de avaliações

O número de cirurgias previstas para o mutirão de cirurgias eletivas do Estado de São Paulo caiu 20,8% na área do Departamento Regional de Saúde de Campinas (DRS VII) até o final de julho. A fila inicial era de 71.456 procedimentos. A informação foi divulgada ontem pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, e pela diretora do DRS VII, Fernanda Penatti Vasconcelos, em reunião que aconteceu na sede da SMCC (Sociedade de Cirurgia e Medicina de Campinas).

A redução é consequência das cirurgias já realizadas, dos resultados dos mutirões de avaliações e da revisão de cadastros, já que há casos de a mesma pessoa estar registrada mais de uma vez na fila. A expectativa da Secretaria de Saúde do Estado é de que o número inicial caia de 30% a 40% após a realização das avaliações iniciais. “Estamos fazendo um inventário e qualificando a fila”, explica Gorinchteyn.

No encontro realizado em Campinas, com a presença de gestores municipais de serviços públicos, privados e filantrópicos, o secretário buscou sensibilizar todos os presentes para que haja uma cooperação mútua e que cada um ajude da maneira que pode para que as cirurgias sejam feitas.  “Se não tiver integração, se não se ajudar, vai ser difícil. É a mesma política em relação à covid. Cada um tem que trazer o que pode. É ação”, destacou o secretário, que abriu espaço para que os serviços pudessem falar das limitações que estão encontrando no processo.

“As diversidades locais precisam ser consideradas e estratégias específicas precisam ser traçadas”, reforçou Fernanda, sobre a diferença de estrutura encontrada nas 42 cidades que compõem a DRS VII. Para ela, as soluções encontradas nesse mutirão deverão ficar como legado. “Precisamos que avance e seja uma política constante”, comenta.

Além do secretário e da diretora, estiveram presentes a secretária-adjunta de Saúde de Campinas, Deise Fregni Hadich, a superintendente do HC, Dra. Elaine Ataíde, o presidente da Rede Mário Gatti, Dr. Sergio Bisogni, e a presidente da SMCC, Dra. Fátima Bastos.

“Na pandemia, conseguimos unir forças. É importante fazer isso novamente. Serviços com mais estrutura podem ajudar os que possuem menos. Cada um fazendo sua parte, vamos tirar todas as pessoas da fila. A prioridade, neste momento, é a população. Muitos casos se agravaram com tanta espera e precisam de atendimento”, reforça a presidente da SMCC.

O governo estadual lançou o mutirão de cirurgias eletivas no fim de maio com o objetivo de zerar a fila em todo o Estado de São Paulo. Em junho, o secretário também esteve na sede da SMCC, reunido com serviços de saúde públicos e particulares, para firmar parcerias para a realização dos procedimentos. Atualmente, as cidades estão realizando mutirões de avaliações para dar encaminhamento aos casos. Para os atendimentos do mutirão, o Estado está repassando o dobro da tabela SUS (Serviço Único de Saúde).

 

Notícias Recentes

MANIFESTAÇÃO DA SMCC SOBRE MUDANÇAS NAS REGRAS DA CNRM

MANIFESTAÇÃO DA SMCC SOBRE MUDANÇAS NAS REGRAS DA CNRM

No dia 17 de abril de 2024, nós fomos surpreendidos por uma decisão UNILATERAL do governo federal, que mudou drasticamente as regras da CNRM (Comissão Nacional de Residência Médica). Através do decreto 11.999, sem nenhum conhecimento ou consulta prévia feita às...