Fevereiro roxo – SMCC produz vídeo para orientar a população sobre lúpus e fibromialgia

2 fev, 2022 | Notícias

Doenças, que normalmente estão associadas, não têm cura, mas têm controle

A SMCC (Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas) produziu um vídeo para alertar a população sobre os principais sinais de alerta do lúpus e da fibromialgia, duas doenças que fazem parte da campanha Fevereiro Roxo, que também tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre o Mal de Alzheimer. O lúpus e a fibromialgia não têm cura, mas têm controle. Confira mais informações no vídeo feito pelo coordenador do Departamento Científico de Reumatologia, Dr. André Marun Lyrio, no link.

“O lúpus e a fibromialgia não têm cura, mas elas têm controle. Fazendo o seguimento correto, fazendo acompanhamento, tomando as medicações, seguindo as orientações do seu médico, do seu reumatologista, você consegue controlar e ter uma qualidade de vida normal”, afirma Dr. Lyrio.

Ele explica que o lúpus é uma doença autoimune em que o organismo ataca as próprias células. Já a fibromialgia é uma doença que tem uma desregulação na sensibilidade à dor e o paciente acaba sentindo mais dor do que deveria. “Apesar de elas terem essa base diferente, é muito comum que estejam juntas, então o paciente tem lúpus e fibromialgia”, comenta.

De acordo com o reumatologista, a fibromialgia está, muitas vezes, presente com outros remautismos. “Então é comum que a gente tenha artrite reumatoide mais fibromialgia, espondilite mais fibromialgia, artrite psoriásica mais fibromialgia”, alerta.

Não há, até o momento, uma maneira específica para prevenir essas doenças, mas algumas mudanças de hábito ajudam a minimizar os riscos de uma doença autoimune, principalmente. Entre eles, evitar o tabagismo, a obesidade e o uso de drogas ilícitas, que induzem à doença autoimune. Também é importante praticar atividade física regularmente.

Alguns sinais servem de alerta para o diagnóstico dessas doenças. “No caso do lúpus, é comum que ele se desenvolva em mulheres jovens. A lesão cutânea é muito característica, sejam aquelas lesões do rosto, em asas de borboleta, sejam lesões de pele, semelhantes a feridas, pelo corpo. A sensibilidade ao sol (o paciente fica muito vermelho, com a pele irritada com um pouquinho de sol que toma), muitas aftas no céu da boca, às vezes, água no pulmão, água no coração, sem uma explicação, sem ter uma pneumonia associada, nada disso”, explica.

A principal característica da fibromialgia é dor difusa pelo corpo. “Então o paciente tem de ter dor no corpo todo, o dia inteiro, de manhã, à tarde e à noite. Essa dor é contínua. A gente começa a pensar em fibromialgia quando essa dor permanece contínua por mais de três meses. Aí a gente vai descartar outras causas, como quadros infecciosos, algum outro reumatismo que possa dar dor e, descartando essas outras causas, a gente acaba fazendo o diagnóstico de fibromialgia”, diz.

Notícias Recentes

SMCC alerta para riscos da chikungunya chegar a Campinas

SMCC alerta para riscos da chikungunya chegar a Campinas

SMCC alerta para riscos da chikungunya chegar a Campinas Enquanto a atenção pública está focada na batalha contra a dengue, que se tornou um sério problema de saúde, a Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), atenta ao atual cenário, está emitindo um...

Share This