Capítulo II do Fórum Continuado de Direito Médico trata Violência Obstétrica

9 dez, 2019 | Notícias

​​​​​​​

Na noite do último dia 05/12, o 2º capítulo do Fórum tratou do tema “Violência Obstétrica”. Entre os debatedores estavam Dra. Camila Kitazawa Cortes; Dr. Carlos Politano e Dr. Wlademir Mendes.

Representando a OAB, Dr. Idalvo Matos Filho, comentou que o Fórum tem se mostrado um canal importante para discussão de temas relevantes para a sociedade. “Discutimos a violência obstétrica, seus impactos para as mulheres, além de discutir um aperfeiçoamento das condutas médicas científicas e na relação médico-paciente, como forma de diminuir reclamações e a judicialização desta relação. Não foi objetivo do encontro em negar a existência de atos praticados por profissionais e instituições de saúde às pacientes, mas discutir como eliminar essa prática antiética e ilícita nos procedimentos obstétricos.”

Para um dos organizadores da iniciativa, Dr. Marco Aurélio Bussacarini o evento superou as expectativas. “Foi um evento de arrepiar, em todos os sentidos. Controvérsias muitas, em um nível de civilidade que raramente se vê. Obstetras de serviços públicos e particulares colocaram a visão de quem vive um dia-a-dia dos mais complicados da atualidade, focados pela mídia, caçados pelos advogados, demonização por pacientes e seus familiares”, comentou.

Dr. Marco disse que o debate trouxe a distinção entre violência obstétrica (praticada pelo profissional) daquela violência institucional; quando se trata da falta de vagas ou tempo excessivo de espera para atendimento por exemplo. 

“As mulheres colocaram o momento de fragilidade que vivenciam durante a gestação e parto, com palavras duras como: “se os homens parissem o problema da violência obstétrica já estaria resolvido”. Também foram lembradas as parturientes em locais com realidades técnicas distintas, as de raça, cultura e cor diferentes com a discriminação de que são vitimadas, seja pela falta de orientação e informação, seja por tratamento inconveniente e às vezes até desrespeitoso. As discussões foram acaloradas, os pontos de vista bem expostos, os exemplos elucidativos, as ideologias dissecadas a fundo”, complementou o médico. 

Estão sendo realizados encontros mensais, alternados na SMCC e na OAB. A cada evento crescem os participantes, em número e em engajamento.

A Presidente da SMCC, Dra. Fátima Bastos reforçou a importância da iniciativa das entidades. “A judicialização na saúde é uma realidade que precisa ser encarada com seriedade, transparência e, acima de tudo conhecimento para nós médicos e os advogados”.

A Organização do Fórum é da Comissão de Direito da Saúde da OAB Campinas e da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC). A Comissão Organizadora é composta por: Dr Jorge Carlos Machado Curi (SMCC); Dr Idalvo Matos Filho (OAB); Dr Flavio Leite Aranha Junior (SMCC) e Dr Marco Aurelio Bussacarini (SMCC).

Amanhã (10/12), a partir das 19h, na sede da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC) acontece o Capítulo III: “Judicialização da Saúde” do Fórum Continuado de Direito Médico. Uma parceria entre a SMCC e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Confira a programação AQUI


Notícias Recentes

MANIFESTAÇÃO DA SMCC SOBRE MUDANÇAS NAS REGRAS DA CNRM

MANIFESTAÇÃO DA SMCC SOBRE MUDANÇAS NAS REGRAS DA CNRM

No dia 17 de abril de 2024, nós fomos surpreendidos por uma decisão UNILATERAL do governo federal, que mudou drasticamente as regras da CNRM (Comissão Nacional de Residência Médica). Através do decreto 11.999, sem nenhum conhecimento ou consulta prévia feita às...